O mês de Junho é marcado por celebrações mundiais do orgulho LGBT em todas as suas cores. O mundo dos quadrinhos não é excepção e nós reunimos vários super-heróis não heterossexuais, explorando as várias formas como “saíram do armário” e o impacto causado.

Confira os 15 heróis e heroínas que marcam pela diferença no universo Marvel e DC Comics!

Homem de Gelo

Homem de Gelo e Jean Grey

Foram precisas várias décadas até que um dos membros fundadores dos X-Men se revelasse como homossexual. Bobby Drake, o mutante conhecido como Homem de Gelo, teve duas saídas do armário no mesmo ano.

No universo Marvel atual, existem dois Bobby Drake que são na verdade a mesma pessoa mas de épocas diferentes. Vários jovens mutantes como Homem de Gelo e Jean Grey foram trazidos do passado para o presente e agora convivem com as versões adultas deles mesmos.

Em 2015, o Homem de Gelo adolescente foi confrontado por Jean Grey (também ela em sua versão jovem) sobre a sua orientação sexual. Graças aos seus poderes telepáticos, Jean rapidamente descobriu o segredo de Bobby e falou com ele antes mesmo do mutante admitir isso para ele mesmo. No início, ele negou tudo mas perante a abertura e aceitação de Jean, Bobby decidiu assumir sua verdadeira identidade.

Ainda no mesmo ano, o jovem decidiu falar e explorar as suas dúvidas com o Homem de Gelo mais velho. Durante essa conversa, o Bobby Drake que conhecemos desde os anos 60, finalmente admitiu que era gay. Durante anos existiu o rumor entre os fãs sobre a orientação sexual do mutante mas nada passou de especulações e alguns detalhes deixados por explorar nas histórias.

Embora a saída do armário seja vista como “forçada” por Jean Grey, não deixa de ser curioso que a verdade de Bobby Drake tenha surgido graças a ele mesmo.

Batwoman

Batwoman

A Mulher Morcego surgiu nos anos 50 como a contraparte feminina de Batman e juntos viveram um dos muitos romances de Bruce Wayne. Mas a Batwoman dos dias de hoje não é a mesma de meados do século XX.

Kate Kane é a personagem que agora encarna a identidade da super-heroína e ela não está nem aí para Batman. Kate foi uma militar excepcional até ser expulsa da sua carreira no exército quando decidiu não fingir ser heterossexual e assim desafiar a lei que proibia os militares de serem assumidamente homossexuais.

Mas sair do exército abriu o caminho para Kate se tornar a vigilante mascarada. A atual Batwoman teve um relacionamento longo com Reneé Montoya mas foi com a policial Maggie Sawyer que Kate Kane fez história. Quando a super-heroína pediu a Maggie que casasse com ela, este se tornou o primeiro pedido de casamento lésbico na história dos quadrinhos.

Infelizmente, a DC deu um passo atrás com o seu progresso e proibiu os criadores de Batwoman de mostrarem o casamento. A posição oficial da editora foi de que os super-heróis têm a missão de sacrificar suas vidas pessoais para defenderem todos que precisem da sua ajuda. Os criadores J.H. Williams e W. Haden Blackman se demitiram em protesto pela decisão da DC.

America Chavez

America Chavez

Existe alguém que conheça America Chavez e não saiba que ela não é heterossexual? A poderosa heroína chegou com tudo e sua identidade como lésbica sempre foi abertamente assumida. Como mulher, latina, negra e gay, America Chavez desafia os estereótipos e é vista por muitos fãs como uma campeã da diversidade nos quadrinhos.

Estrela Polar

casamento do Estrela Polar

Jean-Paul Beaubier ficou marcado na história da Marvel como o primeiro super-herói gay assumido da editora. Sua homossexualidade era algo há muito planejado pelos seus criadores, mas os códigos de moral da época não permitiam nada mais que sugestões deixadas em aberto.

Com a epidemia da AIDS nos anos 80 e início dos 90, existia um clima de ansiedade generalizado em relação à doença e a sua ligação à comunidade LGBT. Em 1992, o mutante Estrela Polar se tornou um dos super-heróis a sensibilizar o público para essa temática.

Na HQ Alpha Flight Vol. 1 #196, Jean-Paul descobre uma bebê abandonada que tinha nascido com AIDS. O mutante adota a menina e dá a ela o nome de Joanne. Infelizmente, a bebê faleceu após algumas semanas e Estrela Polar ficou profundamente afetado com esta tragédia. Simultaneamente, Major Plátano, outro super-herói canadense da Tropa Alfa, entra em uma espiral de raiva e depressão com a morte do seu filho também infectado com AIDS.

O falecimento e causa de morte dos seus filhos aproxima os heróis e leva à revelação de Jean-Paul. Estrela Polar decidiu se assumir publicamente como gay com a esperança de chamar a atenção de todos para os direitos LGBT e para a prevenção da AIDS. Mais tarde, Jean-Paul se tornaria ativista e escreveria uma autobiografia sobre a sua vida como mutante e gay.

Em 2012, Jean-Paul Beaubier casou com Kyle Jinadu, seu namorado de longa data. Na cerimônia estiveram presentes vários super-heróis, entre eles uma mutante que teve duas mães: Vampira. Durante o casamento de Estrela Polar, Vampira diz que não consegue deixar de pensar se suas mães teriam gostado de se casar, em uma referência a Mística e Sina.

Constantine

Constantine

O cínico e badass John Constantine é bissexual e sua orientação sexual é tratada da forma mais normal possível. Um dos grandes anti-heróis da DC Comics, Constantine mencionou sua bissexualidade casualmente em 1992, explicando que tinha namoradas e namorados (e como rapidamente essas relações terminavam).

Desde então, referências à sua orientação sexual têm sido tratadas sempre desta forma, algo que contrasta com as grandes revelações de outros personagens. Para John Constantine, o fato de ser bissexual é apenas uma faceta da sua identidade e suas histórias não se focam exclusivamente nesse detalhe do personagem.

Hulkling e Wiccano

Hulkling e Wiccano

O casal adolescente Hulkling e Wiccano é um dos mais famosos romances LGBT da Marvel. Desde o seu início que sua homossexualidade e relação foram completamente assumidas e tratadas com naturalidade.

Os dois super-heróis foram membros dos Jovens Vingadores durante vários anos, uma equipe que sempre teve uma abordagem inclusiva e não discriminatória (America Chavez também fez parte do time).

Wiccano e Hulking são agora Vingadores oficiais e estão noivos.

Mulher-Gato

Mulher-Gato

Selina Kyle nunca foi tímida em usar sua sensualidade para alcançar os seus objetivos e manipular qualquer um. Desde sempre que Mulher-Gato tem uma imagem hipersexualizada e o flerte com homens e mulheres fazia parte dessa construção da personagem; mas em relação ao seu próprio gênero, Selina nunca tinha passado das palavas aos atos.

Até 2015, quando a roteirista Genevieve Valentine inscreveu a bissexualidade no canône da Mulher-Gato. O primeiro beijo entre Selina e uma outra mulher aconteceu de forma inesperada, até para a própria anti-heroína. A autora fez questão de afirmar que isto não se tratava de um truque para aumentar as vendas e que ia ao encontro da verdade sobre Selina:

“Ela já flerta com essa ideia – muitas vezes literalmente – há vários anos; para mim, isso é mais uma confirmação do que uma revelação.” Genevieve Valentine acrescentou que a atração de Selina por mulheres não fez ela se esquecer de Batman, até porque como a roteirista afirma “não é assim que a bissexualidade (ou a humanidade) funciona”.

Rictor e Shatterstar

Rictor e Shatterstar

Como aconteceu com outros personagens antes deles, Rictor e Shtatterstar precisaram de vários anos antes de se estabelecerem como LGBT. O mutante Julio Rictor teve alguns relacionamentos com mulheres e Shatterstar era inicialmente considerado assexuado devido ao seu treinamento para ser uma máquina de morte sem sentimentos.

Quando os dois super-heróis se tornaram membros da X-Force de Cable, eles formaram uma amizade intensa. Mas foram precisos vários anos até a ligação dos dois ser tornada explícita nas páginas dos quadrinhos – algo que não foi bem visto por Rob Liefeld, um dos co-criadores de Shatterstar. Liefeld queria que o seu personagem guerreiro continuasse a batalhar com a sua dificuldade em entender as emoções humanas.

O relacionamento de Shatterstar e Rictor já sobreviveu a dúvidas, conflitos e até a uma suposta gravidez de uma mutante – algo que se confirmou como completamente falso.

Deadpool

Deadpool

O coração de Wade Wilson é uma festa aberta a todo o mundo. Deadpool é várias vezes descrito como sendo pansexual, ou seja, ele é atraído por todo o tipo de pessoas, independentemente do seu gênero ou orientações sexuais.

Fabian Nicieza, um dos criadores de Deadpool diz mesmo que ele não tem uma categoria definida para a sua sexualidade e que quem o quer definir desse jeito, é porque não entende o personagem. Segundo Nicieza, a orientação sexual de Wade muda a toda a hora, algo que vai ao encontro da sexualidade fluída que sempre caracterizou o anti-herói.

Só uma coisa é certa com o Mercador Tagarela: sua crush pelo Homem-Aranha não vai desaparecer nunca.

Meia-Noite e Apolo

Meia-Noite e Apolo

Estes dois super-heróis foram inicialmente criados como homenagens divertidas a Batman e Superman, mas reimaginados como homossexuais. Mas a evolução de Meia-Noite e Apolo levou os personagens muito além do seu propósito inicial e hoje em dia são uma dupla poderosa dos quadrinhos.

Embora a sua homossexualidade seja um traço importante de quem eles são, suas histórias fazem questão de mostrar que eles são muito mais que isso. Um casal temido por qualquer um, Meia-Noite é dos vigilantes mais brutais e sanguinários das HQs e Apolo tem poderes muito semelhantes aos de Superman, incluindo a necessidade de energia solar.

Eles são o complemento perfeito um do outro, a luz e sombra que ambos precisam, e isso os tornou um dos casais mais icônicos dos quadrinhos.

Xavin

Xavin

Xavin é provavelmente o personagem mais complexo dessa lista graças à sua própria natureza. Os Skrulls têm a capacidade de transformar sua forma física de várias maneiras, sendo metamorfos naturais.

Como um Skrull, Xavin demonstra esta habilidade de alterar seu visual, incluindo seu gênero, algo que veio a provar ser útil na hora de conquistar Karolina Dean. Eles estavam prometidos em casamento devido a uma estratégia política entre suas raças, mas Karolina recusou Xavin por este não ser uma mulher.

Para agradar à sua prometida, o alienígena revelou suas capacidades e se transformou em mulher. A fluidez de gênero de Xavin é um tema complexo, já que o personagem pode ser homem, mulher e até transgênero em simultâneo.

Pela sua própria natureza em permanente transformação é provável que os Skrulls não tenham a mesma definição de gênero como as outras espécies. E sem uma identidade de gênero enraizada, as suas orientações sexuais não serão também algo perfeitamente definido.

Com sua fluidez de gênero, Xavin é sem dúvida um personagem complexo e que levanta interessantes questões para o público e, em particular, para a comunidade LGBT dos quadrinhos.

Mulher-Maravilha

Mulher-Maravilha

Pense nisso: em uma sociedade utópica unicamente composta por mulheres, fará sentido falar em homossexualidade? Se Themyscira apenas tem pessoas do gênero feminino, o conceito de heteronormatividade simplesmente não existe.

Durante vários anos, os fãs de Mulher-Maravilha especularam se a super-heroína seria lésbica ou bissexual devido à sua origem. Em 2016, o criador Greg Rucka confirmou oficialmente que Mulher-Maravilha se apaixonou e teve relacionamento com mulheres, mas o autor não define isso como sendo simplesmente gay. Rucka afirma que “uma Amazona não olha para outra Amazona e diz ‘Você é gay.’ Elas não fazem isso. O conceito não existe”.

Esta confirmação causo um impacto tremendo no mundo dos quadrinhos, mas em nada alterou a essência da super-heroína. Apenas foi revelado que a guerreira Amazona nunca verá o amor a preto e branco como a maioria das pessoas – e não há nada de errado nisso.