Frank Castle retornou ao universo Marvel / Netflix depois da sua estreia na segunda temporada de Demolidor. Agora na sua série solo, conheça os melhores easter eggs e referências que descobrimos em Justiceiro!

Spoilers para a primeira temporada das séries Justiceiro e Os Defensores.

1. A homenagem a Garth Ennis

Frank Castle

No final do primeiro episódio, Microchip diz ao Justiceiro as palavras “Bem-vindo de volta, Frank”. Isso parece ser uma referência direta à história de HQ criada por Garth Ennis e conhecida exatamente pelo título Bem-vindo de Volta, Frank.

Garth Ennis deixou sua marca no Justiceiro em uma das mais aclamadas histórias do anti-herói, e também uma das mais violentas – algo que se encaixa perfeitamente no tom do episódio piloto.

2. Curtis Hoyle é bem diferente nos quadrinhos

Curtis e Billy

Na série, conhecemos Curtis Hoyle, um dos mais fiéis aliados de Castle e também ele um veterano de guerra. Mas, nos quadrinhos, Hoyle é um personagem longe de ser um mocinho.

Ele era originalmente um vilão que foi rapidamente descoberto por Castle e assassinado por ele, estando presente em apenas dois números da HQ até ser jogado fora de um helicóptero.

3. Os criminosos Gnucci

Ma Gnucci

Quem não conhece a história dos quadrinhos pode nem ter pensado duas vezes quando surgiu o nome Gnucci no episódio piloto. Mas os fãs do Justiceiro sabem que Gnucci é o nome de uma poderosa família que corrompeu toda a cidade de Nova York.

Essa é mais uma inspiração com origem na HQ “Bem-vindo de volta, Frank” em que os Gnucci eram o principal inimigo de Castle. Dentro desse clã, é Ma Gnucci quem se destaca como matriarca da família e líder temível.

Será que esta breve menção vai reservar os Gnucci como um dos vilões da próxima temporada?

4. Castiglione é o nome verdadeiro de Frank

Justiceiro

Em Justiceiro, vemos como o personagem assume uma nova identidade como Pete Castiglione agora que todos acham que Frank Castle está morto.

Nos quadrinhos, Frank muda seu nome de Castiglione para Castle por um motivo muito nobre. Ele tinha servido seu país em duas turnês militares no Vietnã, e estava impedido de retornar uma terceira vez. Decidido a dar novamente tudo pela sua nação, Frank muda seu nome e assim volta à guerra com o americanizado Castle.

5. O olho de Rawlins

William Rawlins

As memórias de Frank em Kandahar mostram como ele esteve perto de matar William Rawlins em um ataque de fúria. Felizmente para Rawlins, Castle “apenas” o deixou cego do olho esquerdo, graças à intervenção de Billy Russo.

Vários episódios depois assistimos à morte brutal e sangrenta de Rawlins pelas mãos do Justiceiro, culminando com Castle esmagando os olhos do inimigo. Nos quadrinhos, Rawlins é um agente corrupto da CIA que também fica cego de um olho depois de ser torturado por Castle.

6. Os fantasmas de Nova York

Microchip

No início do episódio “Two Dead Men”, Microchip contata Frank e deixa uma mensagem enigmática para o Justiceiro: “Você não é o único fantasma em Nova York”.

Sabemos que o outro fantasma a que Microchip se refere é ele mesmo, mas existe outro homem oficialmente morto que é importante na Nova York do UCM. Esse homem é, claro, Matthew Murdock, o Demolidor.

Quem assistiu Os Defensores até os últimos momentos sabe que o herói não morreu junto com Elektra no final da temporada. Vimos ele aparentemente acordando de um coma no que parece ser um convento.

7. A importância de Queens

Frank Castle

Frank Castle está longe de encontrar Jessica Jones na zona de Hell’s Kitchen ou passear pelo Harlem e descobrir Luke Cage ajudando um vizinho. O Justiceiro tem seu refúgio em Queens e não é coincidência que essa seja também a zona do simpático Homem-Aranha.

A estreia do Justiceiro nos quadrinhos aconteceu nas páginas de Peter Parker, com Castle aparecendo com a missão de matar o Cabeça de Teia. É ainda curioso como o restaurante em que Frank recebe a chamada de Microchip se chama Pete’s.

8. Fomos “avisados” do destino de Billy Russo

Billy Russo

Na série assistimos à relação entre a agente Dinah Madani e Billy Russo, repleta de momentos íntimos e referências ao futuro terrível do veterano de guerra. Em um dos seus momentos juntos, vemos Billy cuidando da sua beleza e Madani chega mesmo a dizer a ele que “nem todos podem ser tão bonitos como você”.

Mais tarde, assistimos às memórias de Frank na guerra e existe uma cena em que ele zoa do amigo chamando ele de “Billy, o Belo”. Este era um dos nomes pelos quais Russo era conhecido nos quadrinhos antes de se transformar no profundamente desfigurado Retalho.

9. Moby Dick

Frank lendo Moby Dick

Você pode ser uma máquina de matar sem misericórdia e mesmo assim ter bom gosto nos livros que lê. Pergunte a Frank Castle. O Justiceiro é visto lendo o clássico Moby Dick, uma história que representa perfeitamente a sua própria jornada de vida e o homem em que ele se transformou.

Em Moby Dick, o personagem Capitão Ahab fica obcecado com a ideia de caçar a baleia branca que lhe devorou a perna, e embarca numa cruzada vingativa. Quando Frank Castle encarna o Justiceiro, ele é o Capitão Ahab da sua história, um homem que vai sempre precisar de ser um vigilante devido à sua obsessão por vingança e gosto em matar criminosos.

10. Turk Barrett já é um clássico

Turk Barrett

Se há criminoso que todo mundo tolera nessa Nova York fícticia, esse criminoso é Turk Barrett. Nem o Justiceiro mata ele. Presente em todas as séries Marvel / Netflix, Turk geralmente aparece sendo forçado a dar informações sobre organizações ilegais e com cenas habitualmente hilárias. Sua cena em Justiceiro foi uma das melhores aparições desse personagem, tudo graças àquela arma rosa.

11. Homem de fortuna e requinte

Esse homem é Billy Russo, segundo as palavras do seu amigo Curtis Hoyle. No original, a frase é “man of wealth and taste”, em uma clara referência à música “Sympathy for the Devil” dos Rolling Stones.

Considerando que a letra da música é uma apresentação do Diabo, serve também como referência ao lado sombrio que Billy Russo escondia ter.

12. Stan Ori

Stan Ori

Na série vemos Stan Ori como um senador americano que é a favor de um maior controle e regulamentação no uso de armas. Mas, tal como acontece com Curtis, Stan também foi um vilão nos quadrinhos do Justiceiro.

Originalmente, o filho de Ori era um policial corrupto e foi morto por Castle como punição dos seus crimes. Stan Ori decidiu então enviar um mercenário para assassinar o Justiceiro, mas ambos acabaram por ser mortos pelo anti-herói.

13. Máquina de fliperama

Justiceiro

Em uma das mortes mais criativas do Justiceiro na série, vemos o anti-herói assassinar um criminoso em cima de uma máquina de fliperama. Essa parece ser uma bizarra referência a uma action figure do personagem da edição deluxe Diamond Select.

14. Muhammad Ali vs George Foreman

Lewis e seu pai

Em uma cena com o pai dedicado de Lewis Walcott, vemos ele assistindo a uma das lutas de boxe mais icônicas do século XX: Muhammad Ali vs George Foreman.

Este combate aconteceu em 1974, o mesmo ano em que Frank Castle fez sua primeira aparição na HQ Amazing Spider-Man #129.

15. O Retrato de Billy Russo

Ben Barnes como Billy e Dorian Gray

Voltamos novamente aos livros, agora através da leitura escolhida por Billy Russo durante o seu tempo no Afeganistão. Em uma cena vemos Billy lendo O Retrato de Dorian Gray, uma obra literária que mostra a obsessão do seu protagonista com a beleza.

Dorian Gray vende a alma em troca da beleza eterna enquanto o seu interior se torna cada vez mais decadente e corrompido. Esta história é comparável à de Billy Russo, um homem preocupado com as aparências e o poder, que usa a sua beleza e carisma para seu próprio benefício e eventualmente cai na corrupção total.

É ainda mais curiosa esta referência quando olhamos para a carreira do ator Ben Barnes que vive o personagem Billy Russo. Barnes também interpretou Dorian Gray no filme de 2009 com o mesmo título do livro.

16. Empire State Building com as luzes vermelhas

Empire State Building

Em uma cena muito rápida, vemos o famoso horizonte da cidade de Nova York e nele se destaca o Empire State Building em tom vermelho. No mundo real, as luzes do icônico edifício mudam o seu esquema habitual de cores para eventos específicos como tragédias ou acontecimentos marcantes.

Será possível que esta seja a homenagem do Empire State Building e de Nova York ao Demolidor? Todos acreditam que ele está morto e como um herói da cidade, faria sentido que honrassem a sua memória.

17. Cameo de Stan Lee

cameo Stan Lee

Essa aí pode facilmente não ser notada já que acontece tão rapidamente. Mas como já é hábito nas séries Marvel / Netflix, Stan Lee aparece em um pôster, desta vez junto com as palavras célebres dos marines americanos “Semper Fidelis”.

Nas outras séries ele surgiu sempre em pôsteres como porta-voz da NYPD, a polícia de Nova York. Agora mudaram certamente para se adaptar ao passado de Frank Castle e o contexto dos fuzileiros.

18. Um taxista veterano de guerra

Logo no primeiro episódio, Curtis revela a Frank que um dos membros do seu grupo de apoio é um veterano de guerra, que conduz um táxi de noite e fala sozinho para o espelho. Ele está falando de Lewis Walcott mas essa é uma referência sutil a um personagem lendário do cinema: Travis Bickle.

Travis (Robert De Niro) é o protagonista de Taxi Driver, filme de 1976, que retrata a vida solitária de um veterano do Vietnã que sofre de estresse pós-traumático. Além das semelhanças com Lewis, Travis acaba por se tornar semelhante a Frank com a sua ideia de se transformar em vigilante para “limpar” as ruas de Nova York.

19. Castle destrói a cara de Billy

Frank e Billy

Em “Memento Mori”, último episódio da temporada, acontece o confronto trágico entre Frank e Billy em Central Park. A cara de Russo é completamente desfigurada depois do Justiceiro bater a cabeça do inimigo várias vezes contra os espelhos do carrossel.

Quando Russo vê o seu reflexo, ele implora a Castle que o mate, horrorizado com a sua nova aparência. Frank ignora o pedido do inimigo e deixa-o viver para que carregue consigo a dor e miséria como punição pelos crimes que cometeu.

Nos quadrinhos, é também Castle quem destrói a cara de Russo e assim dá origem ao seu grande vilão, o Retalho. Esse momento marcante acontece originalmente com uma vidraça em vez de espelhos, mas a cena da série serve como referência (e reflexo) perfeita para os quadrinhos.