Embora Michael Burnham seja a personagem principal de Star Trek: Discovery, desde cedo que ela compartilhou o amor dos fãs com o Capitão Gabriel Lorca.

Foi no episódio três, Contexto é para os Reis, que o misterioso Capitão nos foi apresentado. E, quando nos é revelado que ele é na realidade nativo do Universo Espelho, nós já nos havíamos apegado a esse personagem manipulador, porém heroico.

Infelizmente, no espaço de dois episódios, Lorca acaba sendo morto por Georgiou do Universo Espelho, desintegrado, para que não haja qualquer dúvida de seu final. E o que nos deixou o Capitão?

Um capitão diferente de todos os outros

cap

Lorca criou um aspecto interessante que diverge dos capitães que estamos habituados a ver em Jornada nas Estrelas. Ele era um homem complexo, misterioso e moralmente ambíguo que se distanciou dos modelos de Picard, Janeway ou Kirk e que trouxe uma nova lufada de ar fresco à série.

Lorca era capaz de quebrar regras e arriscar o que fosse preciso para que seu trabalho ficasse feito. Ele era uma nova espécie de capitão nunca antes vista na franquia. Mas mesmo sabendo que nem sempre fora um capitão modelo, ele sempre foi um homem focado em seus objetivos e muito competente.

Defensor dos marginalizados

cap

Através de Lorca, Michael acaba conseguindo se redimir de seus atos passados. Mesmo tendo descoberto que afinal havia uma razão amorosa por trás do interesse do Capitão pela sua nova oficial, essa continua sendo uma prova de sua capacidade de empatia. 

Além disso, Lorca se recusa a deixar Tyler para trás quando este fica machucado durante sua fuga da prisão Klingon. E, neste caso, Ash não tem qualquer importância para ele a nível pessoal.

Na verdade, por mais que Gabriel Lorca se mostre insensível ao destino de todo mundo, ele mostrou conseguir se importar com personagens marginalizados, dando até força a Saru como Primeiro Oficial.

Um personagem inspirador

lorca

É verdade que Burnham é, efetivamente, a protagonista da série. Ela é uma personagem complexa e com uma boa história por trás. Porém, Lorca tinha um certo carisma que sempre puxou o público para o seu lado. Ele consegue não só manter toda a sua tripulação convencida em seguir seus objetivos, incluindo Burnham, mas também o próprio público.

Muitas de suas ações parecem egoístas, como a forma como levou Stamets ao abismo ou a facilidade com que entregou Cornwell ao inimigo. No entanto, é mais comum do que queremos aceitar o que nós próprios por vezes sacrificamos para conseguir atingir nossos objetivos maiores. Lorca é um personagem dos tempos modernos, em um mundo onde o público não se revê mais na representação simplista da oposição entre o bem e o mal.

E ao eliminar Lorca, Star Trek: Discovery desperdiçou um dos personagens mais bem construídos da série. Pois, antes de ser revelado como um vilão de uma realidade alternativa, Gabriel Lorca era um dos aspectos mais interessantes da série, com sua moralidade imperfeita e condicionada pela guerra e por más decisões.