Todo mundo adora um filme da Marvel! Os fãs esgotam bilheterias, os críticos dão excelentes notas aos filmes, mas existe uma peça do puzzle que compõe o Universo Cinematográfico Marvel que insiste em faltar, os vilões. É um fato, os bandidos dos filmes da Marvel nunca se saem muito bem e acabam quase sempre frustrando as expectativas dos fãs. Aqui vamos analisar os motivos que fazem esses personagens tão ruins.

Falta profundidade

jaqueta amarela

Normalmente as intenções atrás das ações dos vilões nunca são bem explicadas, deixando o espectador bastante confuso. Às vezes os filmes da Marvel são tão centrados nos heróis, e em explicar a sua importância, que se esquecem de construir os personagens que deveriam ser o principal problema da história.

É exatamente neste ponto onde a Marvel poderia aprender algumas coisas com a sua rival DC Comics. Esta se esforça em construir vilões psicologicamente complexos e que realmente desafiam os heróis, obrigando eles a superem suas fraquezas. Para isso é preciso contar a história do vilão e dar espaço para a sua personalidade crescer, sem o tratar como um personagem secundário.

Os filmes funcionam sem eles

zemo

Se você assistir ao Capitão América: Guerra Civil vai chegar ao final do filme e perceber que toda a trama poderia perfeitamente ter funcionado sem o suposto vilão do filme, o Barão Zemo. Como indicamos no ponto anterior, Zemo era um personagem sem qualquer tipo de profundidade, facilmente esquecível, quase como um personagem secundário.

E isto nunca deveria acontecer! O vilão é aquela preocupação que não pode sair da cabeça do espectador ao longo do filme, pela sua importância, mas acima de tudo por representar uma verdadeira ameaça para o herói, colocando a sua vida ou os seus interesses em risco. Um filme de super-heróis nunca deveria funcionar sem o seu vilão!

Heróis engraçados demais

malekith

Um vilão tem que ser a representação do mal, um personagem carregado de loucura e verdadeiramente cruel. Algo que seja o completo oposto daquilo que um herói representa.

A Marvel é conhecida pelo tom menos sombrio que dá aos seus filmes, em comparação com a DC Comics. Apesar disso ser um dos pontos mais elogiados pela crítica, nem sempre pode ser considerado como algo bom.

Em Thor: O Mundo Sombrio, o vilão do filme, Malekith nunca é encarado como uma verdadeira ameaça. Ao invés disso ele serve como mais um personagem para ser explorado como alívio cômico do filme. Algo que se repete no filme solo do Doutor Estranho, onde Kaecilius e até mesmo Dormammu são utilizados de forma humorística, e acabam perdendo aquele lado ameaçador.

Alterações sem sentido

mandarim

Se você tem um bom personagem de quadrinhos e a oportunidade de adaptar ele para o cinema, é óbvio que mesmo assim algumas alterações terão que ser feitas. Mas você nunca vai alterar aspectos essenciais ao caráter do personagem, certo? Bem, a Marvel parece não concordar com isso... Pelo menos foi o que fizeram fez no filme Homem de Ferro 3, com o personagem do Mandarim, um dos mais icônicos rivais do Homem de Ferro.

Mais uma vez a Marvel caiu no erro de querer tornar todo o personagem cômico, fazendo o impensável com o Mandarim. A medida que o filme vai chegando ao fim, o espectador descobre que o vilão não passa de um ator contratado por outro cara para se fazer passar por aquele super vilão. Neste filme o Mandarim foi basicamente transformado numa farsa.

Não conseguem explorar o potencial dos atores

vilões marvel

Com quase todo mundo falando mal dos vilões dos filmes da Marvel, existe um pensamento que pode passar pela sua cabeça: será que a culpa é dos atores que os interpretam? Não, muito pelo contrário! A Marvel tem grande facilidade em contratar grandes atores para os papéis de vilões, alguns exemplos são Mickey Rourke, Mads Mikkelsen, James Spader, Josh Brolin, Ben Kingsley, Jeff Bridges, entre muitos outros.

Com atores tão conceituados e excelentes interpretações nos seus currículos, fica claro que o problema está mesmo na forma como o estúdio constrói os seus personagens, não desafiando os atores a fazerem interpretações memoráveis. Isso acontece em vários filmes da Marvel, tornando claro, mais uma vez, que o problema ultrapassa os caras que dão vida ao personagem.