IO: O novo filme Netflix estrelado por Margaret Qualley e Anthony Mack

O novo filme original Netflix que chegou hoje ao catálogo do serviço de streaming aposta no gênero distopia pós-apocalíptica. IO é estrelado por Margaret Qualley (The Leftovers, Era uma Vez em Hollywood), Anthony Mack (o Falcão Negro, de Vingadores: Guerra Infinita) e Danny Huston (House of Time).

A trama acompanha a luta da humanidade para sobreviver após a Terra ter se tornado tóxica. Mas segue uma abordagem mais pessoal dos personagens.

Rumo a IO

Em um futuro não muito distante, a Terra se tornou tóxica. A única saída que a humanidade encontrou para sobreviver foi fugir rumo à lua de Júpiter, chamada IO. A jovem cientista Sam Walden (Margaret Qualley), porém, insiste em ficar em seu planeta natal na busca por uma forma de salvá-lo.

Quando ela conhece Micah (Anthony Mack), ela precisa decidir entre ficar e lutar pela Terra ou partir na última nave que sai do planeta em 48h. Ele, por sua vez, já não acredita como antes na previsão do pai de Sam (Danny Huston), um famoso cientista que acreditava que a Terra passaria por um ciclo e se tornaria habitável novamente.

Além de ser o nome de uma das luas de Júpiter, IO é o nome de uma das amantes mortais de Zeus, uma das referências à mitologia grega que podem ser encontradas no filme.

Com direção de Jonathan Helpert, o filme chegou à Netflix hoje. Clique no vídeo acima para assistir ao trailer.

O que os críticos estão dizendo

IO

As críticas ao novo Sci-Fi da Netflix estão um pouco divididas. Embora algumas apontem que o longa não traz nada de novo para o gênero e tem um roteiro fraco, outras destacam as atuações de Qualley e Mackie como motivos para assistir ao filme.

No geral, contudo, os críticos parecem encarar o longa como uma produção não excelente, mas ainda assim boa.

The Guardian

"Em anúncios promocionais, a Netflix descreve que seu mais novo filme original, IO, se passa na Terra “pós-cataclísmica”. É uma descrição apropriada - em algum lugar entre a calamidade e o apocalipse completo - para um filme que não sabe exatamente o que quer ser. Medido e sedado demais para um thriller pós-apocalíptico, mas muito estéril para um épico de viagem no tempo e no estilo de Christopher Nolan, IO parece mais semelhante a Perdido em Marte, que se concentra principalmente na coragem e desenvoltura de uma pessoa para suportar e cultivar plantas em um lugar implacável."

IGN

"IO, da Netflix, é uma abordagem interessante de filmes de sobrevivência pós-apocalípticos. Em vez de insistir em uma determinada ameaça ou oferecer traços amplos que reflitam os males da sociedade, ele apresenta uma história mais íntima, centrada na importância das relações humanas. Nem sempre é bem sucedido. O ritmo moderado e os elementos temáticos silenciados que permitiram tal nuance também reduziram o impacto do filme. IO nunca se torna chato (embora existam momentos que correm o risco), mas também não é tão notável quanto poderia ser."

Inverse

"No final, a IO oferece uma conclusão um tanto satisfatória - e um toque decente na metade - mas até lá é tarde demais. Você não se importa com o que acontece com Sam e Micah porque, no final do dia, eles não são personagens interessantes e este não é um mundo interessante. Em vez disso, basta clicar em todas as caixas que devem ser adicionadas a um filme inteligente, sem precisar parar para garantir que é uma história que vale a pena contar em primeiro lugar."

RSC

"O filme Netflix IO serve bem ao cenário apocalíptico, mas é a direção e os desempenhos bem medidos de Margaret Qualley e Anthony Mackie que fazem dele um sucesso. É um relato de conexão humana desesperada, ligando-a ao nosso desejo de confiar no ciclo natural da Terra e de tornar nosso lar, nosso planeta, o auge de nosso valor sentimental. IO cria essa noção incrivelmente; com ares de Interstelar, A Chegada e Perdido em Marte, interligando todos os seus temas com sinceridade, mas ainda permitindo que o filme ficasse em pé sozinho."

Confira abaixo mais imagens do filme:

IO

IO

IO

IO

IO

IO

IO

IO está disponível na Netflix.