Crítica Os Defensores: diversão pura com potencial desperdiçado

Finalmente assistimos a Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro juntos para salvarem Nova York. Mas será que esta é a grande série que faz justiça aos super-heróis? Confira nossa crítica sem spoilers a Os Defensores!

Oito episódios de pura diversão mas podia (e devia) ser melhor

Os Defensores

Uma coisa temos a certeza: Os Defensores é uma boa série que diverte muito e é uma delícia para os fãs de cada um dos quatro super-heróis. Mas é por sermos fãs desses heróis e das suas séries que sentimos que sua primeira aventura em equipe poderia ter sido mais aprofundada.

Com as personalidades fortes de cada protagonista e as suas histórias individuais, existe a sensação de que muito mais do seu passado poderia ter sido aproveitado para esta série. Mas quando Os Defensores funciona – e tem momentos muito bons – descobrimos o quão fantástico é finalmente assistirmos aos heróis compartilhando cenas e dando aos fãs aquilo que tanto queriam ver.

Equilíbrio a quatro

Os Defensores

Um dos pontos mais positivos de Marvel’s Defenders é o equilíbrio da equipe sem esquecer a individualidade de cada membro. A série faz um trabalho sensacional em combinar os vários tons de cada super-herói, desde o mais sombrio Demolidor ao descontraído Luke Cage, e isso mostra respeito pelos personagens que os fãs vão certamente apreciar.

Esta mistura equilibrada entre os protagonistas é ainda evidenciada pelas cores usadas nas suas cenas individuais, com os predominantes vermelho, púrpura, amarelo e verde se destacando para cada herói. Existe uma verdadeira química entre os atores, se destacando especialmente o relacionamento entre Luke Cage e Danny Rand e Murdock com Jessica Jones.

A personalidade cada Defensor tem espaço respirar e para ser explorada, gerando contrastes muito interessantes entre os quatro super-heróis.

Jessica Jones e Demolidor roubam a cena

Jessica Jones e Demolidor

Não há como negar: Krysten Ritter e Charlie Cox dominam a série com suas interpretações sensacionais de Jessica Jones e Matthew Murdock. É evidente a entrega dos atores aos seus personagens, demonstrando um realismo nas suas interpretações que faz com que Jessica e o Demolidor se destaquem ao longo de toda a temporada.

Esse é um Luke Cage superior

Luke Cage

Em Os Defensores, Mike Colter mostra que superou suas limitações e o Luke Cage dessa série é muito mais genuíno que aquele que assistimos em sua série solo. Com um desempenho menos rígido e mais seguro de si, Colter demonstra que soube humanizar Cage de forma realista, indo além da sua interpretação como torre inquebrável.

Redenção do Punho de Ferro

Luke Cage e Punho de Ferro

Depois de Finn Jones não convencer como Punho de Ferro na sua série solo, em Os Defensores assistimos a uma evolução notável do ator e seu personagem. Com um roteiro muito superior, Finn Jones tem aqui muito mais espaço para desenvolver o seu Danny Rand e finalmente dar-lhe credibilidade.

Curiosamente, os outros Defensores demonstram várias vezes que não levam o Punho de Ferro a sério ou acham sua história ridícula, algo que tem tudo para fazer rir quem está assistindo. Pegando nas críticas dos fãs, as falhas do campeão de K’un-Lun são assim expostas e analisadas, surgindo uma construção interessante do personagem.

Mas não é só com piadas que Rand é tratado, existindo uma conversa particularmente importante sobre as questões raciais e de privilégio entre ele e Luke Cage. Esse diálogo serve para evidenciar falhas em Punho de Ferro que só agora ele começa a descobrir e a explorar. É especialmente importante assistir a Danny Rand reconhecer o seu estatuto e privilégio e a usar isso para o bem maior.

Uma das questões mais problemáticas na apresentação de Punho de Ferro na sua série solo foi a fraca qualidade dos combates. Em Os Defensores, existe uma grande evolução nesse detalhe importante do campeão de K’un-Lun, com o super-herói se mostrando muito mais capaz e com cenas de luta muito mais fluídas e bem executadas.

Uma boa história que não escapa a falhas

Os Defensores

Os Defensores tem uma história cativante que prende a atenção do público do primeiro ao último episódio, mas é inegável que podia ter sido muito melhor. O final sofre especialmente com isso, com uma trama pouco trabalhada, soluções implausíveis e deixando pontas soltas que impedem que a conclusão seja verdadeiramente satisfatória.

Essa é uma série que beneficiava de mais episódios que dessem um maior foco em cada Defensor e no desenvolvimento das suas histórias individuais e em equipe. As séries solo Marvel / Netflix têm treze episódios mas Marvel’s Defenders tem apenas oito, e é visível que muito mais poderia ter sido conseguido com mais tempo.

Por fim, é uma pena que não tenha existido uma maior exploração e aproveitamento do que existe nos quadrinhos. O potencial para Os Defensores era muito grande e, embora seja uma aventura imperdível, os super-heróis e os fãs mereciam mais.