Crítica Homem-Aranha: No Aranhaverso - Um salto de fé muito bem sucedido!

O filme Homem-Aranha: No Aranhaverso é mais um exemplo do grande plano que os estúdios Sony estão montando para a franquia centrada no super-herói da Marvel.

Depois de ter cedido os direitos do personagem aos Estúdios Marvel, a Sony iniciou um plano que passa pela produção de filmes de outros personagens ligados à história do Cabeça de Teia, como foi o exemplo de Venom protagonizado por Tom Hardy e do futuro Morbius que terá Jared Leto no papel principal.

Outra das apostas da Sony, passa pela criação de filmes de animação baseados no Homem-Aranha para a telona, e Homem-Aranha: No Aranhaverso é o primeiro caso (e de sucesso)!

Animação de excelência

Logo nos primeiros minutos do filme, conseguimos perceber que não estamos perante um filme comum de animação, Homem-Aranha: No Aranhaverso tem um visual arrojado, extremamente bem executado e que chega mesmo a ser único.

Para além das cores vibrantes que contrastam com alguns momentos mais negros, o filme presta homenagem a outros tipos de animação.

Ao longo do filme, podemos ver um crossover entre elementos futuristas e certos grafismos clássicos que caracterizaram os quadrinhos ao longo do anos.

Um coração enorme

spiderversemilesmorales

A trama de Homem-Aranha: No Aranhaverso é contagiante e o espectador fica colado à telona ao longo das quase duas horas de duração do filme.

Os elementos estão todos lá, momentos de humor, tristeza, saudade e acima de tudo esperança fazem de Homem-Aranha: No Aranhaverso, uma experiência incrível para qualquer fã de quadrinhos.

Este filme serve ainda de exemplo para outras grandes produções do mesmo gênero, que por vezes falham em algo essencial - o coração. Um filme de super-heróis deve ter coração, deve inspirar as pessoas e acrescentar algo à vida dos espectadores que entram na sala de cinema e Homem-Aranha: No Aranhaverso, cumpre isso exemplarmente. 

Uma homenagem ao multiculturalismo

milesmoralespider

Num momento em que Hollywood vive um dos períodos mais conturbados, com acusações de racismo por parte de vários atores de diferentes etnias, Homem-Aranha: No Aranhaverso dá uma lição de multiculturalismo!

A Sony arriscou e decidiu contar a história de um jovem com um pai de descendência africana e uma mãe de descendência latina, rasgando assim com os vários preconceitos que assombram atualmente a sociedade norte-americana.

O filme bebe ainda influências na sua estrutura a diferentes culturas, são várias as referências à estética africana, asiática e latina.

Criatividade acima da média

milesmorales

Tudo neste filme é extremamente bem executado e de um bom gosto incrível. A animação é exemplar, a trama é contagiante, os personagens são interessantes e dinâmicos e a trilha sonora encaixa na perfeição na estética adotada para este projeto.

Homem-Aranha: No Aranhaverso é um filme de animação diferente de todos os outros, abrangendo vários tipos de públicos.

Mas acima de tudo, Homem-Aranha: No Aranhaverso é diferente de tudo o que vimos, algo extremamente difícil de conseguir no panorama cinematográfico atual.

Stan Lee ficaria orgulhoso

spiderverserating

Este foi o primeiro filme do Homem-Aranha a sair depois do falecimento do criador do personagem Stan Lee e podemos dizer, que é uma bela homenagem!

Homem-Aranha: No Aranhaverso, é sem margem para dúvidas um dos melhores filmes de super-heróis de 2018, só ficando provavelmente atrás de Vingadores: Guerra Infinita.

Se você é fã do Cabeça de Teia, de HQs ou apenas de cinema no geral então este filme é obrigatório! Nada falta a Homem-Aranha: No Aranhaverso e você vai sair da sala de cinema com o coração cheio - uma forma excelente de começar 2019!