Ciclone (Whizzer, no original) é um super-herói tão antigo que ele apareceu primeiro na Timely, a companhia que mais tarde viria a ser transformada na Marvel. Recentemente, Ciclone ganhou destaque com uma inesperada aparição na segunda temporada de Jessica Jones, mas com uma história muito diferente da original.

Na série ele é chamado de Robert Coleman, mas seu nome nos quadrinhos é Robert Frank. E se achou estranha a inclusão de um mangusto na vida do personagem, então se prepare!

Uma história de origem com sangue de mangusto

Ciclone

Robert era filho de um cientista importante e em criança acompanhava seu pai em expedições científicas. Em uma dessas viagens, Robert foi mordido por uma cobra que rapidamente conheceu o seu fim quando foi ela própria atacada por um mangusto.

O Dr. Emil Frank, pai de Robert, temeu que seu filho morresse envenenado e decidiu usar sangue do nobre mangusto que tinha ficado gravemente ferido. A transfusão sanguínea foi um sucesso e o garoto recuperou de forma extraordinária, mas sua alegria seria de pouca duração. Com todo o choque e estresse dessa situação, Emil acabou sofrendo um ataque cardíaco, e seu corpo não resistiu.

A recuperação de Robert e o sangue de mangusto teriam um efeito secundário bem ao jeito dos quadrinhos: o garoto descobriu que agora tinha o poder da supervelocidade.

Herói da segunda guerra mundial

Ciclone

Robert cresceu e desenvolveu sua identidade de super-herói, adotando o codinome de Ciclone, e lutando o crime nos Estados Unidos. A fama chegaria durante a segunda guerra mundial, quando Ciclone respondeu ao pedido de ajuda de Bucky Barnes (o futuro Soldado Invernal).

Com o apoio de Ciclone e outros heróis, Bucky conseguiu salvar vários aliados das garras do Caveira Vermelha. O grupo de heróis salvadores recebeu o nome de Legion Liberty (Legião da Liberdade), unidos com a missão de combater a espionagem nazista nos Estados Unidos.

O seu filho radioativo

Ciclone e Miss América

Durante a segunda guerra mundial, Ciclone conheceu Madeline, mais famosa como a super-heroína Miss América. Eles se conheceram enquanto combatiam nazistas e compartilhavam a mesma paixão pelo combate ao crime, sendo membros ativos de grupos como Liberty Legion, Invasores e Esquadrão Vitorioso.

Eventualmente os dois casaram e abandonaram suas vidas de super-heróis para se tornarem agentes de segurança num projeto nuclear governamental. Mas o seu passado heroico viria a transformar o futuro do casal numa tragédia. Isbisa, um inimigo da época em que eram membros do Esquadrão Vitorioso, sabotou a instituição secreta onde os antigos heróis trabalhavam. A sabotagem causou um acidente nuclear terrível que viria a ter graves consequências para Madeline que estava grávida.

Meses depois nasceu Robert Jr., um bebê que foi considerado perigosamente radioativo pelo governo americano. O filho dos super-heróis nasceu deformado e emitia níveis de radiação demasiados elevados, o que levou o governo e Ciclone a encontrarem um lugar para a criança fora da exposição pública. Robert Jr. foi escondido numa instituição governamental e colocado em um estado de suspensão, onde ele deveria ficar até ser encontrada uma cura.

Ciclone escondeu tudo isso da sua mulher e contou para Madeline que a criança tinha morrido.

Ele quase foi pai adotivo de Feiticeira Escarlate e Mercúrio

Bova e Ciclone

Abandonando sua vida nos Estados Unidos e tentando esquecer a tragédia do seu filho, os heróis decidiram viajar pelo mundo. Madeline ficou grávida novamente e deu à luz na cidadela da montanha de Wundagore, com a vaca evoluída Bova como parteira.

O bebê nasceu natimorto, e ainda mais deformado e radioativo que o primeiro filho. Madeline viria a morrer com envenenamento radioativo, causado acidentalmente pelo próprio parto e criança. Robert Frank ficou devastado com as mortes e Bova tentou manipulá-lo para que adotasse outras duas crianças.

Ela tentou fazer Ciclone acreditar que Madeline também tinha dado à luz mais duas crianças. Na verdade, eles eram os gêmeos órfãos Wanda e Pietro Maximoff e tinham nascido dias antes naquele mesmo local. Bova queria dar um bom lar às crianças e ajudar Robert com sua mágoa, mas o herói abandonou a montanha e deixou os gêmeos para trás.

Com tudo o que aconteceu de terrível com sua vida, Ciclone viria a se transformar em um nômade constante. Décadas depois dos acontecimentos em Wungadore, o antigo herói viria a ouvir falar de Mercúrio e Feiticeira Escarlate e sentiria culpa por ter abandonado as crianças, que acreditava serem suas.

O retorno à vida de herói

Ciclone e os Vingadores

Após vários anos de esquecimento nas páginas dos quadrinhos, Ciclone volta ao ativo quando seu primeiro filho é descoberto. Capitão América e Homem de Ferro encontram o compartimento onde Robert Jr. tinha sido colocado, enquanto salvavam as vítimas de um edifício que tinha colapsado e que era a localização do antigo instituto científico govenamental.

Os Vingadores levam o módulo para a sua mansão e Ciclone descobre tudo isso quando lê o jornal e reconhece o filho nas fotografias. Ele decide confrontar os Vingadores e, durante o combate, o módulo que contém a criança é quebrado, resultando na libertação de um perigo maior do que imaginavam. Robert Jr. tem o corpo de um adulto com mente de criança e chama a si mesmo de Nuklo.

Ele é rapidamente vencido pelos heróis e levado pelo exército americano. Contudo, Ciclone sofreu um ataque cardíaco por ter voltado ao combate após décadas de aposentadoria. Durante os meses que ele esteve hospitalizado teve apoio dos Vingadores, e Feiticeira Escarlate esteve do seu lado, acreditando que era sua filha.

Fora do hospital e depois de vencer a depressão e alcoolismo, Robert lutou arduamente pela custódia de Nuklo. Sem que Ciclone soubesse, o seu filho fez parte de um estudo científico do Projeto Pégaso e seus níveis de radiação baixaram significativamente. Mais tarde, Nuklo seria levado para um hospital de Nova York para ser tratado pelo Dr. Ira S. Bishoff.

Mas esse médico era na verdade Isbisa, o grande vilão da vida de Ciclone. Isbisa drenou a radiação que restava no corpo de Nuklo e injetou nele mesmo para combater o velho rival. Ciclone combateu o vilão junto com Feiticeira Escarlate e Visão, mas acabou por morrer em batalha, levando Isbisa consigo para a morte.

Como grande vitória de Robert Frank, seu filho Nuklo ficou totalmente curado da radiação excessiva.

Marvel adora o nome Whizzer

Os vários Whizzers

Existem 4 diferentes personagens com o nome Whizzer no universo Marvel, e todos bastante diferentes entre si. Todos eles possuem o poder da velocidade sobre-humana e isso é provavelmente a única coisa que têm em comum.

Além de Robert Frank, existem James Saunders e dois Stanley Stewart (um da Terra-616 e outro da Terra-712). James Saunders foi também chamado de Speed Demon nos Estados Unidos. Curiosamente, Robert Frank foi chamado de Ciclone no Brasil mas os outros Whizzers foram traduzidos para Tufão.

O Ciclone de Jessica Jones

Ciclone

O personagem interpretado pelo ator Jay Klaitz está longe de tudo aquilo que você leu nessa matéria. Seu nome foi mudado para Robert Coleman, seus poderes apenas aparecem quando tem medo e ganhou supervelocidade com os experimentos científicos da IGH.

Mas as cores com Robert se veste lembram muito o uniforme do herói dos quadrinhos e, claro, existe um mangusto. Em vez de ser salvo pelo animal, o Ciclone da série tem um mangusto como grande amigo e deu a ele o nome de Emil – o mesmo nome do pai de Ciclone na HQ.