Criador de Witcher diz querer uma série melhor que Game of Thrones!

Andrzej Sapkowski, criador de A Saga do Bruxo Geralt de Rívia, esteve presente na Comic-Con Portugal 2017, onde falou um pouco de seu trabalho e do que espera da nova adaptação de Witcher pela Netflix.

Esperando a nova série com entusiasmo

the witcher

Relativamente à série anunciada pela Netflix, Andrzej Sapkowski se mostrou entusiasmado com a nova produção. E embora o autor tenha confessado não saber nada sobre os planos da Netflix, ele mostrou esperança nas qualidades da empresa:

"Eu sou profissional, a Netflix é profissional. Eu acredito que eles vão fazer o possível para criar uma boa série, por isso, eu tenho esperança na Netflix. Eu não faria um contrato com eles se não confiasse neles. Você também não casaria com uma garota se pensasse que ela o iria trair. (...) Claro (que estou curioso), eu quero ver uma série melhor do que Game of Thrones!"

Por fim, o autor brincou quando perguntaram que ator ele gostaria de ver na pele do bruxo Geralt:

"Absolutamente não o Woody Allen!"

Marcando sua legitimidade como autor

sapkowski

Durante seu painel, o autor falou um pouco de sua luta para ser reconhecido como o criador legítimo da saga que conta a história de Geralt. Uma de suas tristezas é o público pensar que o videogame é anterior aos livros e o preocupa que seu nome possa vir a ser esquecido tal como os autores de personagens como Zorro ou O Santo.

Andrzej Sapkowski começa por contar como surgiu a ideia da saga The Witcher:

"Eu decidi escrever os livros depois de ver que o mercado polonês precisava de uma saga de fantasia. Todo mundo dizia "isso é estupido; isso não vai vender nunca; nem tente”. Mas eu tentei."

Além disso, ele falou também de suas preferências relativamente a suas obras:

"Isso é igual a me perguntar se eu tivesse cinco filhas muito feias qual delas mais gosto. Por isso, a resposta é “todos”. Mas se você me perguntar qual os livros que escrevi com o maior esforço possível e quais escrevi com minha mão esquerda eu respondo que nenhum livro foi escrito com minha mão esquerda. Acredite, eu nunca, mas nunca apresentaria um livro se não estivesse convencido de que era o máximo de minha criação."