Star Wars: conheça os sábios e enigmáticos Jedi Cinza!

No universo Guerra das Estrelas, todo mundo sabe como a Força funciona. De um lado existe a Luz e do outro a Sombra e os dois polos vivem batalhando entre si. No entanto, existem exceções.

Na verdade, existe na franquia usuários da Força que encontraram um balanço entre os dois opostos, os quais são chamados de Jedi Cinza. Inicialmente, esses personagens existiam apenas em histórias que agora não são consideradas cânone. Porém, recentemente, a Disney aproveitou esse conceito e o reintroduziu na série animada Star Wars Rebels e no filme Rogue One: Uma História Star Wars.

O que é um Jedi Cinza?

revan

Tradicionalmente, o Jedi Cinza é um usuário da Força que se distanciou da estrutura da Ordem Jedi e de seus códigos e que permanece em uma linha de pensamento entre os lados Negro e da Luz.

Esse conceito original apenas existe em material que deixou de fazer parte do cânone da franquia. Os Jedi Cinza foram pela primeira vez introduzidos no game Star Wars: Knights of the Old Republic, que se passa 4 mil anos antes de Star Wars: Episódio IV - Uma Nova Esperança.

Durante as Antigas Guerras Sith, quando o Alto Conselho Jedi procurava consolidar o poder em uma ordem centralizada, alguns destes membros acabaram por se afastar. Eles sentiam que estas mesmas estruturas eram corruptas e irrelevantes em uma aliança que deveria ser apenas para com a Força. Algumas das suas reivindicações tocavam questões como o limite no treino na Força e a impossibilidade de estabelecer relacionamentos amorosos.

Um personagem importante no desenvolvimento da noção de Jedi Cinza neste período é Revan, protagonista do game Star Wars: Knights of the Old Republic. Durante as Guerras Mandalorianas, Revan é um Jedi que cria uma ruptura com a Ordem Jedi após a recusa do Conselho de ajudar a República que estaria sendo atacada. Esses eventos cimentaram Revan como um dos Jedi Cinza mais populares da franquia.

Estes personagens rebeldes apareceram novamente na HQ Legacy e, eventualmente, o conceito de Jedi Cinza se expandiu. Ele passava, agora, a incluir vários setores da Força que simplesmente não faziam parte nem de uma ordem Jedi nem de uma hierarquia Sith.

Entretanto, outros personagens com características cinza foram apresentados no universo expandido e até nos filmes, mas nunca oficialmente nomeados Jedi Cinza. Um deles é Qui-Gon, o mestre de Obi-Wan. Ele sempre foi visto como sendo um Jedi cinza devido a suas práticas inortodoxas e resistência às políticas do Conselho.

O Jornal dos Whills

whills

Originalmente o Jornal dos Whills foi criado por George Lucas, que planejou implementar esse conceito no primeiro filme da Guerra das Estrelas. Basicamente, ele imaginou um conjunto de histórias contadas por um grupo de seres imortais, os Whills, sendo a própria história do filme uma delas. 

Ele acabou não usando essa ideia. Porém, parte da história por trás do misterioso jornal sobreviveu no universo expandido para se tornar cânone recentemente no livro de Star Wars: O Despertar da Força com esse excerto:

“Primeiro vem o dia, depois vem a noite. Após a Escuridão brilha a Luz. A diferença, eles dizem, é apenas resolvida pela aceitação do Cinza através da visão refinada do Jedi.”

Essa é uma passagem famosa do jornal e uma clara referência aos Jedi Cinza. Na verdade, os antigos ensinamentos dos Whills e da Igreja da Força abraçavam os dois opostos, o da Luz e o da Sombra. Por isso, Luke não consegue trazer o balanço ao destruir o lado Negro, mas apenas quando encontrar uma harmonia.

Logo, quando, durante o trailer de Star Wars: Os Últimos Jedi, Luke é visto com uns livros antigos, os fãs começaram a especular se eles fariam parte do famoso Jornal dos Whills. Isso iria ensinar a Luke a história lendária da Força e a sua distância das visões tradicionais das ordens Jedi e Sith.

Como podem os Cinza ser incluídos na nova trilogia?

jedi

Desde a cena final de Star Wars: O Despertar da Força, em que Luke olha para Rey com emoção, que nasceu muita especulação sobre o verdadeiro papel de Luke na galáxia e, principalmente, o que ele tem feito nessas décadas entre as trilogias. Uma das teorias mais interessantes é precisamente a ideia de que Luke se tornou um Jedi Cinza.

É esperado que a trama de Star Wars: Os Últimos Jedi vá girar em torno tanto de Rey como de Kylo Ren. Os dois estão tentando encontrar seus respectivos caminhos enquanto usuários da Força e que Luke será uma figura fundamental nesse capítulo da história.

O diálogo entre Rey e Luke no trailer do novo filme insinua que a noção tradicional de Jedi pode estar chegando no fim. E será Rey, com a orientação de Luke, que pode finalmente atingir o balanço tão desejado entre a Sombra e a Luz.

Esse mesmo tema também é espelhado na história de Kylo Ren. Em Star Wars: O Despertar da Força é mostrado que Ben Solo está procurando no lado Negro o controle de seus estrondosos poderes, algo que Snoke soube manipular. Alguns fãs acreditam que ele acabará se redimindo, encontrando assim um balanço entre os dois lados da Força.

Nós já sabemos também que Luke Skywalker falha ao trazer de volta os Jedi e que se sente responsável por isso. Ele também saiu em busca do primeiro templo Jedi, possivelmente em uma tentativa de entender a base de toda a filosofia Jedi. Logo, é possível que esse exílio o leve a que deixe a Luz para abraçar o Cinza.

É importante relembrar que os Jedi sempre foram descritos como imperfeitos a nível ideológico. A trilogia original nos mostrou que eles não mostraram qualquer consideração por algum tipo de desejo de redenção da parte de Darth Vader e as prequelas deixaram claro que a Ordem era bastante dogmática. O foco sempre foi os mostrar como uma organização rígida que limita a exploração da Força.

Uma conclusão lógica do seguimento destes acontecimentos seria Luke quebrar com as estruturas imperfeitas do passado encontrando, finalmente, o tão desejado equilíbrio na Força.

Na verdade, embora o amor seja proibido pela Ordem Jedi, toda a franquia gira em torno do amor de Anakin por sua mãe e depois por sua esposa, Padme, que o levou a se afastar dos ensinamentos Jedi. Mas foi também o seu amor por Luke que o redimiu no final.

O que podem os Cinza significar para a Saga?

rey

A introdução da filosofia Cinza no universo de Guerra das Estrelas seria uma boa forma de seguir a tradição das boas sagas de ficção científica, tentando oferecer uma reflexão sobre o mundo caótico em que vivemos. Ou seja, talvez seja necessário ter uma visão mais cinzenta das coisas em um mundo que parece estar cada vez mais polarizado.

É interessante pensar que a nova trilogia parece se preocupar em tocar questões relacionadas com raça, gênero e política no desenvolvimento dos personagens. Parece existir um subtexto sociopolítico através de Finn, um personagem negro, lutando contra Captã Phasma, uma autoridade opressiva.

Relativamente a Rey e Kylo os dois lutam usando suas respectivas perspectivas feminina e masculina de poder. Entretanto, Luke representa uma antiga figura de poder assustada com as mudanças do mundo e com uma nova geração de usuários da força que não podem ser dominados.