Euphoria | 5 razões para se apaixonar por Jules!

Euphoria tem sido uma das séries que mais está dando o que falar nos últimos tempos. A dureza com que problemáticas da adolescência são retratadas foi chocante e polêmica para muitos.

Nudez, vício, sexualidade, violência e bullying são algumas das questões levantadas na trama deste programa que é muito mais que uma mera série de adolescentes como as que conhecemos.

Jules é, sem dúvida, uma das personagens com mais impacto nesta série. As suas primeiras aparições fazem com que qualquer um se apaixone com facilidade. A sua personalidade sem filtro, o seu espírito aberto, mesmo que inseguro por vezes, aliado com a maravilhosa excentricidade do seu visual, deixam o espectador colado na telinha.

1. A personagem e a atriz

jules

Quem se entrega a esta série, sem ter qualquer contexto acerca da trama e das personagens que a integram, pode perceber somente no terceiro episódio que Jules é transexual.

A questão é que a própria atriz que interpreta este papel viu nesta personagem a oportunidade de contar a sua história.

Exatamente porque ainda existem muitos poucos atores/atrizes transsexuais em séries e novelas, mesmo que as coisas estejam a mudar. Hunter Schafer nunca pensou em vir a fazer carreira nesta indústria e este constitui o seu primeiro trabalho como atriz.

2. A paixão com que busca a afirmação e o amor

jules

A adolescência consegue ser um dos momentos mais difíceis da vida e todos passamos por um processo de descoberta da nossa sexualidade.

Jules não é exceção e é notório que as suas primeiras interações com homens e o início da sua vida sexual é motivado pela incerteza daquilo que procura, mas sempre com determinação.

No episódio piloto, um dos primeiros momentos de Jules na série é exatamente o seu encontro sexual com o pai de Nate Jabobs (um colega de escola). Nesta cena, ela se mostra notoriamente incerta do que vai fazer, mas a sua coragem e a vontade de arriscar são apaixonantes.

É claro que o fato de Jules estar se transformando numa mulher e de ver muitas das mulheres na sua vida serem tratadas de uma certa forma pelos homens, que nem sempre é a melhor, pode ter influência na maneira como ela própria se deixa levar pelo sexo masculino. A sua busca pela aceitação, afirmação e pelo amor, é notória.

3. A busca online

jules

Este é mais um dos aspectos que torna essa série tão relacionável: a relação dos jovens com a internet. Jules é uma das personagens que vemos depender da internet para alcançar aquilo que quer, tendo grande impacto na sua vida.

Logo desde o início da trama, Jules surge em sites de encontros gay, nos quais marca com homens mais velhos para se sentir aceita, exatamente como lemos acima.

Com o decorrer da série, percebemos que este tipo de comportamento de Jules era frequente no passado, mas uma desilusão e a sua relação com Rue conseguem mudar isso.

4. A infância

jules

No quarto episódio, a narradora Rue conduz a audiência num flashback até à infância de Jules. Antes disso, já sabíamos que ela era nova na cidade e se mudou após a separação dos seus pais, mas só aqui compreendemos porque o seu pai ficou com a custódia total.

Aquilo que deveria ter sido apenas uma viagem com a mãe e uma mera visita ao psiquiatra acabou por ser mais do que isso. Jules percebe que a sua mãe mentiu e ia interná-la.

Depois de sair do hospital aos 13 anos, ela começa a sua transformação e fortalece a sua relação com o pai.

5. Toda a estética

jules

Toda a série está repleta de magníficas referências de moda e beleza, mas umas das personagens que mais nos inspiraram nesse sentido foi Jules.

O seu apreço por looks arrojados, cores pastel, formas abstratas e geométricas que decoram os seu olhos e montes de glitter são uma forma de desafiar também certas construções sociais e de mostrar que Jules pode ser aquilo que ela quiser.

FIQUE LIGADO:

Dark | Conheça todos os personagens e suas conexões!

6 curiosidades sobre MAYA HAWKE, a Robin de Stranger Things!

5 momentos mais TOSCOS de La Casa de Papel (VÍDEO)