Passados 14 anos desde Os Incríveis, finalmente a família de super-heróis mais querida do público retorna a fim de combater o mal.

Porém, desta vez eles não se limitam a divertir o público com cenas de ação e de comédia, abordando também questões sociais atuais em um filme apropriado para todo o tipo de público.

Luta pelo direito a sermos quem somos

incríveis

Os Incríveis 2 começa basicamente onde o primeiro filme acaba, com a família tentando parar um ataque do malvado Escavador e sendo detidos pelos policiais durante o processo. Isto porque, embora no primeiro filme os indivíduos considerados super fossem forçados apenas a tomar identidades secretas, agora eles são considerados ilegais pelo governo.

É então o foco principal da narrativa que o Sr. Incrível, Mulher-Elástica e seus filhos Violeta, Flecha e Zezé consigam ganhar a aceitação do público e seu lugar na sociedade sem terem de anular quem na realidade são.

Os papéis familiares se trocando

incríveis

É aí que é oferecida uma oportunidade a Mulher-Elástica, Sr. Incrível e seu amigo Gelado de trabalharem em conjunto com os irmãos Deavor, donos de uma empresa de telecomunicações, para que tentem restaurar a confiança do público nos super-heróis. Armada com um novo uniforme com uma câmara embutida, Mulher-Elástica é escolhida para a primeira missão devido a seu caráter mais discreto e menos destrutivo.

Isto vai abrir portas à exploração de outro tema importante na sociedade atual: o papel da mulher na sociedade. Enquanto Helena está fora combatendo o crime, Roberto tem de ficar cuidando da casa e das crianças.

Mostrado de forma divertida e causando várias cenas cômicas, vemos o herói aprendendo a gerir o drama da família. Aí, ele percebe que afinal cuidar das crianças não é uma tarefa tão fácil como possa parecer e que manter a estabilidade familiar é uma parte fundamental da vida.

Muita ação e comédia durante todo o filme

incríveis

Tal como esperado de um filme de super-heróis da Pixar, Os Incríveis 2 estão carregados de diversão. A maior parte da comédia é causada pelas tentativas (muitas vezes falhadas) de Roberto tentar gerir sua casa, cuidando de crianças com super-poderes.

E como se isso não fosse suficiente, o herói ainda tem de lidar com os novos poderes de Zezé, algo que o público já havia descoberto no final do primeiro filme, mas que a família só descobre mais tarde na sequência.

Já as cenas de ação, estas envolvem predominantemente as aventuras de Mulher-Elástica em sua missão para repôr o estatuto legal dos super. Helena é, sem dúvida, uma heroína inteligente e perspicaz o suficiente para protagonizar a maior parte do filme de forma acelerada e eficaz.

Um vilão com uma visão atual

incríveis

Embora o filme seja pura diversão para as crianças que o assistem, os temas que despertam o interesse dos adultos são mais complexos. No caso do vilão, o misterioso Hipnotizador, este demonstra ódio por tecnologia e super-heróis.

Sua teoria é que tanto o avanço desmedido da tecnologia como a confiança cega da população no auxilio dos super-heróis está a tornar a sociedade muito fraca e complacente. Já a técnica que o vilão utiliza para hipnotizar as vítimas através do uso de telas toca no inquestionável efeito que as telas têm no mundo atual.

E você, já assistiu as novas aventuras da família Incrível? Deixe a sua opinião sobre o filme nos comentários! 😉