Star Trek Discovery: 4 questões que o midseason finale nos deixou

Chegamos ao final da primeira parte da temporada 1 de Star Trek: Discovery com um episódio intenso que nos deixou várias questões para nos assombrar até janeiro do próximo ano.

Por entre teorias já bem estalecidas entre os fãs e novas problemáticas, confira o que poderemos ver respondido quando a série retornar!

1. Porque Lorca cancelou o último salto?

lorca

Talvez você não tenha reparado, pois a imagem passou muito rápido, mas o Capitão Lorca cancelou o salto final, inserindo novas coordenadas para um “destino desconhecido”. E isso pode explicar o porquê da USS Discovery ter se “perdido” no final do episódio. Foi algo propositado por parte de Lorca ou apenas uma bizarra coincidência?

Isso nos leva a outra teoria muito discutida pelos fãs da franquia: o Lorca que temos visto é na realidade originário do Universo Espelho.

Pela primeira vez, Lorca revela a Stamets que está documentando toda a informação sobre os saltos e a possibilidade de viajar até universos alternativos. Durante o último salto de Stamets, que levaria a USS Discovery até uma base da Frota Estelar, Lorca diz “vamos para casa” enquanto coloca as coordenadas. Porém, rapidamente ele as cancela e digita novas coordenadas para um destino desconhecido.

Talvez “casa” para Lorca seja o seu Universo original. Não nos podemos esquecer que Cornwell, que havia vivido uma relação romântica com Lorca no passado, lhe disse que ele estava um homem diferente e que não o reconhecia. Podemos levar suas palavras para uma visão metafórica e emocional, mas a verdade é que o Universo Espelho com seus gêmeos maléficos existem na franquia.

2. Qual a natureza dos afetos de L'Rell para com Tyler?

tyler

Neste momento, é quase certo que Tyler seja Voq, uma das teorias mais faladas pelos fãs.

Durante este episódio, vemos as memórias revividas por Tyler de sua tortura e estupramento. Algumas delas parecem ilustrar um procedimento envolvendo uma serra e uma grande quantidade de sangue. Porém, quando Lorca o encontra na prisão Klingon, não existe qualquer marca visível de algo tão brutal. Talvez essa fosse a operação que tornou Voq em um humano?

As razões pelas quais ele pode não ser Voq são escassas, mas, apesar de tudo, significativas. A nível fisiológico, os exames médicos feitos na USS Discovery nunca mostraram nada estranho. Durante a Série Original, quando um Klingon tentou se passar por humano, suas diferenças biológicas acabaram sendo expostas por um Pingo.

Além disso, Ash Tyler aparece nos registros como um oficial servindo a Frota Estelar antes mesmo dos eventos que vemos em Star Trek: Discovery.

Apesar de tudo, no final do episódio, Tyler se sente atraído até à cela onde L’Rell se encontra e, aí, ela garante que o vai proteger, acabando com um enigmático “brevemente...”. Não é verosímil que uma Klingon, mesmo uma que seja um pouco marginalizada pela sua espécie, crie laços afetivos tão fortes com um humano.

Outra explicação é que Voq não foi transformado em Tyler, mas sim plantado em um humano. Ou seja, talvez suas memórias estejam dentro da mente do verdadeiro Tyler, e que as duas consciências estejam lutando para tomar controle.

De qualquer forma, é muito provável que Tyler seja um agente dormente, sem conhecimento de que se encontra pronto para colocar seu plano em prática, quando o momento certo chegar.

3. O que aconteceu com Stamets?

stamets

Algo grave está acontecendo com Stamets. Não é claro se ele irá ficar cego, com o cérebro frito, ou as duas coisas ao mesmo tempo. Embora pareça algo conveniente para a carga dramática da história que o seu último salto o tenha danificado gravemente, a verdade é que ele estava brincando com o fogo.

Após cada utilização da Unidade de Esporos, Stamets tem sofrido alguns efeitos secundários estranhos. Uma vez ele até pensou que Tilly fosse a Capitã da nave estelar e na maior parte das vezes ele age como se não fosse ele próprio.

A teoria mais acreditada pelos fãs é a que Stamets tem vindo a trocar de lugar com o Stamets do Universo Espelho com cada salto que faz. Essa teoria já havia sido francamente insinuada na cena em que o cientista fica olhando seu outro eu no espelho.

Porém, existe outra possibilidade. Talvez Stamets esteja apenas a ser arrancado da cronologia fixa e, por isso, tenha ganhado a habilidade de existir fora dela. Quando ele se liga na Unidade de Esporos, ele consegue ver todas as cronologias ao mesmo tempo. O passado, o presente e o futuro se misturam e o deixam confuso. E talvez isso o esteja a transformar em um novo ser, com novas capacidades, que iremos conhecer nos próximos episódios.

4. Onde está a Discovery?

discovery

Esta é, sem dúvida, a principal questão que o último episódio da primeira metade da temporada 1 nos deixou. Após um salto incompleto, toda a tripulação da USS Discovery ficou olhando o desconhecido, completamente ignorante de seu paradeiro.

A resposta mais provável é que eles tenham ido parar ao Universo Espelho, algo que já foi insinuado durante a série. Essa realidade alternativa é uma inversão da visão otimista do futuro, onde a humanidade cedeu a seus piores instintos e se tornou uma raça violenta e sem escrúpulos.

Pode até ser uma boa oportunidade para rever personagens que, entretanto, já morreram no universo primário, explorando assim as ligações afetivas entre os personagens.

Outra possibilidade é a visita a outra cronologia como a Kelvin. Essa realidade alternativa diverge da principal no dia em que James Kirk nasceu e um grupo de Romulanos do século XXIV viajou para trás no tempo, alterando assim o curso da história.

Por fim, é também possível que a USS Discovery tenha viajado para o futuro. Na verdade, Jornada nas Estrelas tem já uma longa tradição de viagens no tempo.

Qualquer que tenha sido o destino de USS Discovery e sua tripulação teremos que esperar até janeiro de 2018 para continuar a seguir esta aventura.