Com mais de 50 adaptações desde o lançamento do filme Carrie, a Estranha, em 1976, Stephen King é sem dúvida o autor mais adaptado de sempre. Ele é também considerado o mestre do terror literário, logo é normal que muitas de suas histórias tenham vindo parar tanto à telona como à telinha.

15. Cujo (1983)

Cujo

cujo

Uma das características mais comuns nas obras de Stephen King é a sua capacidade de pegar em coisas normais e inofensivas e transformá-las em algo terrível. E Cujo conseguiu tornar os cães em algo assustador para uma inteira geração.

Dee Wallace é uma mãe tentando proteger seu filho de um São Bernardo raivoso. O fascínio mórbido de King pela mentira que rodeia a felicidade doméstica da família americana é representado por esta mãe com moral duvidosa presa em um carro tentando salvar seu filho do calor e do animal raivoso que os quer devorar.

14. A Mansão Marsten (1979)

Salem's Lot

salem's lot

Esta mini-série faz transparecer aquele visual especial dos anos 70, contando a história de um vampiro que ainda hoje assombra os fãsA Mansão Marsten originalmente teria sido um filme, mas o diretor Tobe Hooper (O Massacre da Serra Elétrica) insistiu em incluir as múltiplas linhas de história do livro.

Não perca essa conspiração em uma vila soturna que inclui um caixão misterioso e um espirito de vampiro.

13. Creepshow - Arrepio de Medo (1982)

Creepshow

creepshow

Stephen King e George Romero se juntaram para recriar o sonho de qualquer fã de histórias de horror. Esta colaboração é na realidade um tributo aos quadrinhos de terror que os dois liam quando eram garotos. Consistindo em uma antologia de cinco histórias, duas foram baseadas em contos já existentes de King, o resto ele escreveu originalmente para o filme.

No meio de monstros e assombrações, procure uma participação especial do próprio King, aparecendo como um homem amaldiçoado com uma estranha doença corporal.

12. À Espera de Um Milagre (1999)

The Green Mile

green mile

À Espera de Um Milagre é a segunda adaptação de obras de King dirigida por Frank Darabont. O filme conta a história de como um guarda prisional vê sua vida mudada por um prisioneiro com um dom sobrenatural, que se encontra esperando a sentença de morte.

Produzido lindamente, À Espera de Um Milagre sem dúvida que ganha muito com as presenças de Michael Clarke Duncan e Tom Hanks como os personagens principais.

11. It - Uma Obra-Prima do Medo (1990)

It

pennywise

Toda a criança adorava ver um palhaço no circo, até 1990, quando a ABC resolveu passar esta mini-série de duas partes.

Tim Curry tem uma performance inesquecível como o terrível Pennywise, o palhaço assassino que, embora não tenha envelhecido tão bem como se esperava, mudou sem dúvida a visão de todo o mundo relativamente a palhaços.

10. Cemitério Maldito (1989)

Pet Sematary

pet sematary

Uma família se muda para uma nova casa e a seu lado fica um cemitério que consegue reviver os mortos. O problema é que as criaturas, humanas ou animais, que retornam do mundo dos mortos, não ficam exatamente da mesma forma que eram antes.

Cemitério Maldito não só nos trouxe uma das melhores músicas dos The Ramones, como também nos deu vários momentos de susto e adrenalina.

9. 1408 (2007)

1408

1408

Um autor especializado em desmontar locais assombrados, acaba se fechando em um quarto realmente maléfico.

John Cusack representa um personagem cínico e arrogante que acaba preso em um quarto onde se passaram mortes estranhas. Aqui ele vai ser forçado a enfrentar elementos aterrorizantes do seu passado.

8. O Nevoeiro (2007)

The Mist

the mist

Enquanto que 1408 trata de uma única pessoa confinada a um pequeno espaço, O Nevoeiro o faz em maior escala. Neste filme, um grupo de pessoas fica preso em um supermercado enquanto criaturas grotescas esperam do lado de fora.

Novamente, King prova ser um mestre representando pessoas mundanas levadas ao limite quando o sobrenatural invade suas vidas. O Nevoeiro foca a construção lenta de uma atmosfera de paranoia, quando os cidadãos presos no supermercado começam a se virar uns contra os outros, se tornando mais violentos a cada momento que passa.

7. Christine - O Carro Assassino (1983)

Christine

christine

Um garoto se apaixona por um carro e o sentimento é mútuo. E o melhor é que John Carpenter consegue o transmitir com estilo e credibilidade. Ter um mestre como Carpenter adaptando esta história, transformou o veículo vermelho em um ser erótico, simbolizando a ansiedade sexual da adolescência.

Arnie é um garoto que sofre maus-tratos pelos colegas de escola e em Christine, o carro assombrado, encontra uma compreensão e proteção que não encontra em seres de carne e osso.

6. Conta Comigo (1986)

Stand By Me

stand by me

Conta Comigo narra a história de um grupo de quatro jovens em uma viagem de auto-descoberta.

O filme captura muito bem o ambiente de melancolia e nostalgia de uma juventude perdida e é profundamente emocionante ver os laços criados por uma amizade na adolescência.

5. Na Hora da Zona Morta (1983)

The Dead Zone

dead zone

Sem dúvida que 1983 foi um bom ano para Stephen King, pois três grandes adaptações de suas obras estrearam com poucas semanas de diferença. Cujo, Christine - O Carro Assassino e Na Hora da Zona Morta, rapidamente fizeram sucesso e entraram nas mentes coletivas do público.

Esta adaptação de Cronenberg é muito boa ao nos fazer sentir tensão, conseguindo uma sensação de terror gelado com suas filmagens durante o inverno.

Christopher Walker representa um personagem que acentua todas suas qualidades de representação, dando corpo a um professor que acorda de um coma de cinco anos com um dom, ou uma maldição, de precognição psíquica.

4. Um Sonho de Liberdade (1994)

The Shawshank Redemption

shawshank

Entre a direção fantástica de Frank Darabont e as performances infalíveis de Tim Robbins e Morgan Freeman, fica fácil ver como esta adaptação se tornou em um clássico moderno.

Robbins transforma Andy, o herói da história, em um homem educado, mas inquieto, tentando escapar de uma sentença perpétua por um crime que não cometeu.

Esta é das raras histórias de King que não joga com o sobrenatural, mas que mesmo assim não deixa de ser uma experiência inesquecível.

3. Louca Obsessão (1990)

Misery

misery

Muitas das histórias de King lidam com um personagem perdendo sua sanidade, porém, em Louca Obsessão, o personagem está lidando com alguém que já não tem qualquer sanidade. E se a imagem de você estar preso contra sua vontade já é assustador o suficiente, imagina se você for um escritor machucado em um acidente e com falta de mobilidade.

Kathy Bates ganhou o Óscar de melhor atriz pelo seu desempenho como uma enfermeira psicótica, maior fã de um escritor a quem salva de um acidente.

Louca Obsessão se foca nos efeitos psicológicos do confinamento e King mostra a realidade emocional de seus personagens através de obsessões e tortura.

2. O Iluminado (1980)

The Shining

shining

Curiosamente, um dos melhores filmes baseados no trabalho de Stephen King é o que o autor menos gosta. No entanto, embora com bastantes mudanças relativamente ao conteúdo original, esta história perturbadora sobre um hotel assombrado continua sendo um dos melhores filmes de terror de sempre.

Personificando os efeitos do isolamento a longo termo, Jack Torrance e sua família tomam conta de um hotel em época baixa. Mas as coisas começam rapidamente a ficar sinistras. Kubrick consegue tudo isto usando uma imagética surreal e retirando performances psicóticas de seus atores.

Várias cenas são realmente perturbadoras, como as gêmeas fantasmagóricas paradas no meio do longo corredor do hotel ou a inesquecível onda de sangue saindo do elevador. Porém, o momento mais memorável é quando Jack Nicholson, representando um homem que desce lentamente até a insanidade, parte uma porta de madeira com um machado, tentando chegar na sua esposa.

1. Carrie, a Estranha (1976)

Carrie

carrie

Como um conto de fadas passando de geração em geração, esta é a história de uma garota mal tratada, que lança sua raiva contida durante o baile de finalistas. É um conto universal e especial para uma audiência específica de jovens.

Felizmente, o filme de Brian De Palma apenas veio acentuar aquilo que o livro já tinha de bom. A vingança final de Carrie não só é aterrorizadora, mas também um pouco triste, pelo fato de nos ser possível ligar emocionalmente ao seu sofrimento.

Carrie, a Estranha foi a primeira adaptação de Stephen King e é a melhor que podemos experienciar.