Elenco de Guardiões da Galáxia publica carta de apoio a James Gunn

O elenco dos filmes Guardiões da Galáxia acaba de publicar uma carta aberta na qual demonstram apoio ao diretor James Gunn, recentemente demitido pela Disney.

A demissão de Gunn foi motivada pela publicação de tweets antigos que o cineasta postou no Twitter há alguns anos. As mensagens tinham conteúdo impróprio, como piadas sobrepedofilia e estupro.

Desde, então, contudo, o elenco dos filmes e boa parte dos fãs vêm demonstrando apoio ao diretor, sustentando principalmente o argumento de que Gunn já não é a mesma pessoa de dez anos atrás e que as piadas, embora de extremo mau gosto, não refletem a pessoa que ele é.

"Nós apoiamos James Gunn totalmente"

Na carta publicada hoje nas redes sociais dos atores que protagonizam a franquia Guardiões da Galáxia, lê-se:

Para nossos fãs e amigos:

Nós apoiamos James Gunn totalmente. Todos nós fomos pegos de surpresa por sua demissão repentina na semana passada e, intencionalmente, esperamos esses dez dias para responder, após pensar, rezar, ouvir e discutir. Neste tempo, nós fomos encorajados por uma efusão de apoio dos fãs e dos membros da mídia que desejam ver James recontratado como diretor de 'Guardiões da Galáxia Vol. 3', bem como fomos desencorajados por aqueles que facilmente foram enganados para acreditar nas várias estranhas teorias conspiratórias em torno dele.

Trabalhar nos filmes 'Guardiões da Galáxia' tem sido uma grande honra para a vida de cada um de nós. Nós não podemos deixar este momento passar sem expressarmos nosso amor, apoio e gratidão por James. Nós não estamos aqui para defender sua piadas de vários anos atrás, mas sim para compartilhar nossa experiência em dividir esses anos juntos no set de 'Guardiões da Galáxia Vol. 1' e 'Guardiões da Galáxia Vol. 2'. O caráter que ele demonstrou na ocasião de sua demissão é consistente com o homem que ele foi todos os dias no set. E seus pedidos de desculpas, de agora e de anos atrás, quando abordou pela primeira vez essas observações. Nós acreditamos que isso foi de coração, um coração que nós conhecemos, no qual confiamos e que amamos. Ao escolher cada um de nós para ajudá-lo a contar a história desses deslocados que acham redenção, ele mudou nossas vidas para sempre. Nós acreditamos que o tema 'Redenção' nunca foi mais relevante do que agora.

Cada um de nós segue na expectativa de trabalhar com nosso amigo James novamente no futuro. Sua história não acabou - não chegou nem perto.

Este é um pequeno processo no tribunal da opinião pública. James provavelmente não é a última pessoa boa a ser colocada neste tribunal. Devido à crescente divisão política deste país, é seguro dizer que instâncias como esta vão continuar, embora nós esperemos que americanos além do espectro político possam diminuir os assassinatos de caráter e parar de armar a mentalidade de massa.

É nossa esperança que o que surgiu possa servir como exemplo para que todos nós possamos perceber a enorme responsabilidade que nós temos para conosco e com cada um de nós no que condiz ao uso de palavras escritas quando nós as gravamos na pedra digital; de que nós, como uma sociedade, possamos aprender com essa experiência e, no futuro, possamos pensar duas vezes antes de decidir o que nós queremos expressar; e que, aprendendo, talvez possamos aproveitar esta capacidade de ajudar e curar em vez de ferir uns aos outros.

Obrigado por tirar um tempo para ler estas palavras.

Os Guardiões da Galáxia

A carta foi assinada por Chris Pratt (Senhor das Estrelas), Zoe Saldana (Gamora), Dave Bautista (Drax), Karen Gillan (Nébula), Vin Diesel (Groot), Bradley Cooper (Rocket), Pom Klementieff (Mantis), Sean Gunn (Kraglin) e Michael Rooker (Yondu).

Quando postou a carta em seu Instagram, o ator Chris Pratt ainda publicou a mensagem:

Embora eu não apoie as piadas inapropriadas de James Gunn de anos atrás, ele é um bom homem. Eu, pessoalmente, gostaria de vê-lo recontratado como diretor de Guardiões da Galáxia Vol.3.

As mensagens e piadas em questão, publicadas por James Gunn, foram postadas online há cerca de dez anos. A mais recente é de 2011. O conteúdo foi "resgatado" da rede social por usuários pró-Trump, que se mantinham em conflito com Gunn no Twitter, pela posição política do diretor, que é contra o atual presidente dos Estados Unidos.

Para entender melhor a história, clique aqui.