Crítica Aquaman: Aventura subaquática de Jason Mamoa revitaliza o Universo DC

A Warner Brothers lançou A Liga da Justiça que dividiu críticos, produziu resultados medianos no box office e causou muita incerteza sobre a direção no universo cinemático da DC Comics. Mas introduziu pela primeira vez na telona, Ciborgue, o Flash e Aquaman, embora como personagens secundárias.

Um ano depois, Aquaman vira personagem principal em seu próprio filme sob a direção de James Wan. Para nosso espanto, foi preciso adaptar para cinema, o herói mais ridicularizado e risível dos HQ para revitalizar o universo cinematográfico da DC Comics.

Confira nossa crítica sem spoilers!

A base do enredo

aquaman

Sem entrar em spoilers, a trama decorre algum tempo depois dos eventos da Liga da Justiça. No mundo dos humanos, Arthur Curry é uma celebridade por ter derrotado o terrível Steppenwolf e seu exército de parademônios.

Mas no fundo do mar, no reino escondido da Atlântida, seu meio-irmão o Rei Orm quer iniciar um guerra terrível contra os humanos. Arthur Curry se vê forçado a lidar com seu passado trágico e achar uma solução para acabar com o conflito antes que seja tarde demais.

Um pouco de Indiana Jones, um pouco de Lovecraft e um pouco de Rei Artur

Aquaman - Imagem do filme

Aquaman não é bem um filme de super-heróis. É verdade que conta um pouco do passado e da origem de Arhur Curry mas esse não é foco principal. É uma aventura que mistura elementos de fantasia, como a Lenda do Rei Artur e mitologia no caso da cidade perdida da Atlântida. Também tem coragem suficiente para inserir elementos de terror de H.P. Lovecraft num filme onde um dos poderes do herói é sua habilidade de se comunicar com as criaturas aquáticas.

É uma mistura que resulta numa trama invulgar mas coerente. Aquaman faz com a Atlântida o que Thor fez com a mitologia nórdica, pegou nos elementos mais intrigantes e construiu um mundo interessante que esperamos que seja bem explorado em futuras sequências.

No entanto, Aquaman sofre um pouco aqui porque tenta explicar muito e ao mesmo tempo, fica muito por esclarecer. Nesse aspecto, o filme da Mulher Maravilha se saiu muito melhor.

Algo que também pode causar algum desconforto é o fato de que em termos de continuidade, é o filme da DC Comics que mais se afasta do tom e da visão de Zack Snyder. A Liga da Justiça iniciou a ruptura com a visão inicial do universo cinematográfico e Aquaman encerra esse assunto de vez. Esse filme não é uma cópia dos filmes da Marvel, mas sim, uma adaptação mais fiel e mais única.

Jason Mamoa é o herói que a DC Comics precisa

Aquaman - imagem do filme

Aquaman era o herói da Liga da Justiça que tinha mais para provar em sua primeira aventura a solo. E Jason Mamoa é o ator perfeito para esse papel.

O Arthur Curry é carismático, cínico e seu timimg para pegadinhas é excelente. A sua evolução na trama é algo de semelhante com a de Thor, mas desta vez, há uma inversão de papéis, com Aquaman a ser ao mesmo tempo, um peixe dentro e fora de água.

A viagem de herói dele é fortalecida em parte por um ótimo elenco composto do Vulko (Willam Dafoe no papel de mentor), Hera (Amber Heard no papel de princesa / aventureira), Thomas Curry (Temuera Morrison com pai de Arthur).

O seu conflito com Orm (Patrick Wilson) é um dos focos principais, mas infelizmente não é tão desenvolvido quanto se esperava. A Nicole Kidman, que não era vista em filmes de super-heróis desde Batman Eternamente (1995), regressa num papel curto mas bem encenado, sendo ela a mãe de Athur Curry, a Rainha Atlanna.

Arraia Negra: um vilão desperdiçado

Aquaman - imagem do filme

Uma vez que o Rei Orm é o vilão principal temos de admitir que ficamos um pouco desiludidos com o papel desempenhado pelo maléfico Arraia Negra (Yahya Abdul-Mateen II).

Não temos nada contra ele, seu aspecto e seus poderes na HQ o tornam num personagem muito difícil de adaptar. E é preciso dar mérito a James Wan, bem como à Warner Bros. por conseguirem trazer esse vilão para a telona. Ele é um vilão interessante com poderes formidáveis, no entanto, tornou-se bem evidente que ele foi apenas introduzido na história para que pudesse ser usado em futuras adaptações.

O Veredito final

Aquaman - Veredito

Se forem ao cinema ver o Aquaman podem ter a certeza de que vão se divertir. Foi dirigido e produzido com a máxima confiança apesar da premissa ridícula. Os atores são bons, a história é interessante e as sequências de ação debaixo d'água são impressionantes.

Aquaman é a melhor produção a seguir Mulher Maravilha e com isso se renova a confiança no universo cinematográfico da DC Comics. Esperemos que daqui para a frente o estúdio e os diretores por detrás destas franquias sejam consistentes.

Atualizado em
Carlos Cunha
Carlos Cunha
Passa horas detonando compulsivamente os melhores RPGs. De momento está criando um time de monstros imparáveis em Summoner's War.